sexta-feira, 4 de abril de 2014

Eles voltam ...

Cris, crescendo ...
E eis que temos, vindo de Pernambuco, mais um pequeno estudo cinematográfico da alienação, falta de ligação afetiva e isolamento dos membros das classes mais abastadas - chega de chamar de "classe média", até parece que não existe mais classe "alta", só médias e baixas - diante da realidade da desigualdade social. "Eles voltam", o filme, parte de uma premissa interessante e inusitada, o abandono de uma jovem de apenas 12 anos - Maria Luiza Tavares, em boa atuação - na beira da estrada da zona da mata pernambucana, para desconstruir as expectativas irrealistas do espectador.

Promissora estréia do diretor Marcelo Lordello, brasiliense radicado no Recife, é uma espécie de choque de realidade em baixa tensão, com planos longos, ritmo lento e reflexivo. Lembra, como já deve ter ficado evidente, "o som ao redor", só que, repito, o nível de tensão, aqui, é bem mais baixo. É, também, mais intimista. Está mais próximo da estética do cinema iraniano, ou seja: não é para todos. As massas acostumadas ao ritmo frenético e barulhento do cinemão "pipoqueiro" passarão longe. É "cine cult". Mas não deixa de ser também, num certo nível, povoado por clichês. Difícil escapar, já que a própria vida "real" é cheia deles.

Vi no Cine Vitória, que fica no centro de Aracaju - lugar ao qual, por sinal, muita gente hoje em dia tem medo de ir, especialmente à noite, por medo da violência. Boa localização - sim, existe vida fora dos shopping centers e condomínios fechados - boas instalações, atendimento cordial e, o mais importante: excelente programação alternativa aos "blockbusters" acerebrados e quase sempre, agora, dublados! Só falta melhorar a qualidade do som: nos filmes nacionais a gente sempre perde alguns diálogos - o que não deixa de ser saudosista, já que remete aos tempos em que o cinema nacional padecia desse mal crônico. Mas não, prefiro entender ...


"Cine Lou Reed", segundo RAS.

"Eles Voltam"
Gênero: Drama
Direção: Marcelo Lordello
Roteiro: Marcelo Lordello
Elenco: Clara Oliveira, Elayne de Moura, Georgio Kokkosi, Germano Haiut, Teresa Costa Rêgo, Irma Brown, Jéssica Silva, Maria Luiza Tavares, Mauricéia Conceição
Produção: Mannuela Costa
Fotografia: Ivo Lopes Araújo
Trilha Sonora: Caçapa
Duração: 100 min.

A.

#

2 comentários:

Patriota disse...

Eu acho o cinema brasileiro o melhor da America Latina em tecnologia e produçao, fora que em questao de tematica e enredo os filmes nacionais sao muito melhores que os norteamericanos(com exeçao de alguns filmes promiscuos que se faz aqui).

O Auto da Compadecida, 2 filhos de Francisco, Canudos e outros sao muito mais muito bons mesmo!

Patriota disse...

Tropa de Elite(esse é foda!!) e Cidade de Deus também nao canso de assistir, Capitao Nascimento é o cara, claro que é agressivo demais em alguns aspectos mas com traficante e playboy drogado nao se pode passar a mao na cabeça!!