segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Lemmy

Lemmy fica na dele no canto do bar, bebendo e jogando. Você pode ir lá e pedir pra tirar uma foto que ele deixa, contanto que você o deixe terminar seu jogo primeiro.

Lemmy gosta muito de games, parece ser seu passatempo preferido. No filme homônimo dirigido por Greg Olliver e Wes Orshoski é o que ele aparece fazendo por mais tempo. Mas podemos vê-lo também sendo entrevistado por diversas emissoras de rádio e televisão, conversando com amigos como o ator Billy Bob Thornton, participando de um episódio da série “Californication” e tocando – em estúdio, com Dave Grohl, numa gravação do clássico natalino “Run, Rudolph, run”, e ao vivo, com o Metallica e com o Motorhead, evidentemente.

Lemmy surpreendeu seu filho ao declarar pela primeira vez, para as câmeras do documentário, que ele era a coisa mais importante de sua vida. Este foi o momento mais emocionante de toda a projeção. O segundo melhor momento, na minha humilde opinião, foi o depoimento de uma guitarrista de uma banda que excursionou com o Motorhead. Ela conta que ficou balançada na ocasião, o que causou uma série crise de ciúmes em seu marido, até então fã # 01 da lendária banda de Mr. Kilmister. Ele morreu algum tempo depois, e entre seus pertences ela encontrou uma carta de Lemmy na qual a lenda do rock dizia que ele não precisava se preocupar com nada, pois ele e sua mulher eram apenas amigos e ela não perdia uma oportunidade de declarar o quanto amava seu marido.

Em todo caso, Lemmy comeu as mulheres de 3 de seus ex-companheiros do Hawkwind depois que ele foi expulso da banda. Foi uma vingança, embora ele confesse que já estava comendo uma delas antes do episódio propriamente dito. Não demonstrou arrependimento, parece ter convicção de que eles mereceram.

Por falar em mulheres, ele corrige os números: não foram duas mil, apenas mil, o que, supostamente, seria pouco, dada a sua idade e o fato de que nunca fora casado. E nunca se casou, segundo seu filho, porque carregou por toda a vida o trauma de encontrar seu grande amor morta por uma overdose de heroína na banheira de sua casa.

Lemmy acha que os Beatles foram a maior banda de rock de todos os tempos e que o estilo foi criado por Elvis, Little Richards e Jerry Lee Lewis. Eu acrescentaria Chuck Berry, mas ok. Lemmy falou, ta falado.

Ozzy acha que foi o Motorhead, e não o Black Sabbath, que criou o Heavy Metal.

Scott Ian do Anthrax ficou chocado com os shortinhos curtos usados por Lemmy num dia de calor.

Dave Grohl quer mais que Keith Richards e os demais sobreviventes dos anos 60 se fodam, pois eles não são nada se comparados a Lemmy.

Dee Snyder, Tom Morello, Peter Hook, Slash, os caras do Metallica e mais meio mundo de gente importante do mundo do rock adora Lemmy

Kat Von D. quer dar para Lemmy. Deve ter dado.

Lemmy é foda.

por Adelvan

(....\............../....)
.\....\........... /..../
..\....\........../..../
...\..../´¯.|.¯`\./
.../... |.....|.... (¯ `\
..|.....|´¯.|´¯.|\....\
..\......` ¯..¯ ´......

3 comentários:

A wild Garden disse...

O vídeo é legal mesmo, mas para uma poetisa morta, o livro ainda é melhor!

Adelvan disse...

Pow Daisy, vc traduziu esse livro ? libera aí, hehehehehe

A wild Garden disse...

O duro é que se eu tiver um trabalhão pra postar, lá vem a humanidade denunciando pra deletar. Deixa assim mesmo!